Páginas

domingo, março 15, 2009

Audácia


Coloridas, abertas, vulgares,
florescem agora as petúnias.
Inúmeras cores
dão alento ao verde que subjaz
todo o ano, atento
à altura eficaz
para abrir a corola,
ao tempo que é o certo.
Este tempo, brilhante
em que eu me asserto
e, em sintonia gritante,
detenho-me na força
da flor simples
cujo caule audaz
permanece e sustenta
a flor reinante.

maria eduarda

2 comentários:

solange disse...

Este poema e as petúnias trazem-nos já a Primavera!
Que lindas estão as flores mimadas por ti.
A minha mãe tem também «mão» para as plantas. Fica com pena que eu não tenha o jeito ou a sua paciência. De vez em quando, quando tem um vaso de que gosta especialmente, oferece-mo. Fico tão desanimada quando, ao fim de algum tempo, vai perdendo a graça! Que fazer?!

didium disse...

Estas flores são resistentes.Já morreram tantas plantas ... Não tenho muita sorte, acho que as rego em demasia.
:(