Páginas

sábado, maio 23, 2009

Fogo

Um abraço,
o calor de um afago
no fogo da pele,
nas incandescências do corpo
invadido pela brasa,
que logo,
reaviva o fogo
sem perder o fôlego,
ciente da necessidade
do corpo quente,
de amor carente.

maria eduarda

3 comentários:

dinamene disse...

Quente... Belo poema!

didium disse...

Fervente! :D

Anabela Magalhães disse...

Lindíssimo. Certo. Verdadeiro.