Páginas

sexta-feira, maio 29, 2009

À minha irmã

Sempre me acarinhaste,
quando na adolescência
não estavas em ausência.
E, na mesma casa,
no mesmo quarto,
sempre me ouviste,
e me aconselhaste
em alturas críticas,
dolorosas, sangrentas.
Depois, partiste,
novos planos,
estudos outros,
outra terra.
Regressavas de férias,
tentavas minimizar a dor,
da perda da minha Mãe,
que consideras tua também.
Ficavas comigo,
fazias-me companhia,
e eu desabafava contigo.
Contava-te tudo...
das tristezas,
das loucuras,
dos amores...
E tu, ouvias-me
SEMPRE.
Viajámos para longe,
separámo-nos!
Eu visitava-te,
e tu apareceste,
quando precisei de alguém,
que olhasse por mim,
quando fui Mãe.
Vieste sem perguntar,
sabias-me de ti necessitada,
por ti esperada.
Os anos passaram,
aqui estamos nós,
já não vivemos na mesma casa,
já não partilhamos o mesmo quarto.
Construímos uma outra família,
vinda de nós,
mas temo-nos, SEMPRE!
E assim, o desejo mantém-se,
na aproximação,
no reapertar dos laços,
no fortalecer do amor,
nas irmãs que somos!
Para ti mana,
em ti, por ti, para ti, contigo,
Vivamos assim,
SEMPRE!

maria eduarda

9 comentários:

G. Ludovice disse...

Lembro-me bem da cama grande contígua ao fundo da parede, em que o olhar de Elves Presley era visto por mim com certa desconfiança, talvez porque ainda não era adolescente ou jovem como vocês. Lembro-me de vos aninhar às duas, juntas na minha memória daquele espaço; às vezes pensava q tb gostaria de ter uma irmã... que n me cortasse o cabelo às bonecas nem me arreliasse na minha feminilidade, como um irmão o pode fazer. Lembro-me destas duas irmãs, e da sorte que imaginava elas terem, por se terem, quando as via. bjkas p as duas

G. Ludovice disse...

Elvis...

didium disse...

Gabi,

A mana leu, comoveu-se, e manda dizer que te envia uma grande beijoca! :)

bugsnaEDucação disse...

Que laços fortes e lindos vos unem. E que bem que tu enlaças o amor nas palavras.
Teremos saudades tuas, logo.
Beijinhos

didium disse...

Elsa,

Um dia destes matamos as saudades, e dou-te um caloroso abraço!

Já disse à Anabela que quero uma bela reportagem.
Bjs para ti.

Armando Soares disse...

É bonito ler escritos destes.
E melhor ainda saber que as palavras têm um nome, ou neste caso dois.
Maravilhoso então, é saber que quem escreve e sobre quem o faz: são afinal as minhas duas irmãs.
Beijinhos

didium disse...

E o mano caçula falou e disse, e muito bem!
Beijocas

Xinho disse...

E eu a pensar ques estas duas manas também são minhas e as conheço praticamente desde que me conheço.
Sempre senti, independentemente das vicissitudes da vida, que existiu, existe e existirá amor entre vocês as duas, entre nós.

didium disse...

Mais um mano: o meu mano das tropelias!

Bjs