Páginas

sexta-feira, janeiro 01, 2010

Receita de ano novo

(Poema colocado pela Vera Y. Silva, nos comentários.)

Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?)

Não precisa
fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumidas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

Carlos Drummod de Andrade

8 comentários:

blackhill disse...

É uma mensagem com esperança, realista, mas principalmente que tudo pode ser começado .... mas há-que saber gerir um tempo que nos é finito ...

Bea disse...

Tão giro... que transmissão de pensamentos... tão longe e sempre tão em uníssono!
BEIJOS E BOM ANO

www.angeloochoa.net disse...

É no mais sagrado íntimo de cada um que começa a verdadeira liberdade... E aí ninguém toca, porque ninguém alcança... a não ser o(a) próprio(a)... e o dedo amoroso do bom Deus, pai e mãe!
Comece, Eduarda, no seu coração, só seu, a caminhada sem fim para o adiante... ( É só este o meu voto... ( Se mo permite. )

maria eduarda disse...

É verdade Black. Devemos estar atentos ao tempo...

maria eduarda disse...

Beijos para ti Bea, e Bom Ano!

maria eduarda disse...

Belo conselho Angelo, que eu aceito, ponho em prática, por vezes com dificuldade, mas lá vou eu!

www.angeloochoa.net disse...

Maria Eduarda, quero ainda lhe dedicar um poeminha meu do ano passado, que julgo ser muito ao meu jeito: Aí vai pois, não sem antes lhe dizer que quem muito dele gostou foi a colega Elsa Cerqueira, que conhecerá, e que tive a felicidade de acompanhar aquando, a um do Junho passado, estive na ESA/3 em Amarante. Ai vai pois, sem mais:

Melrinho fiel,
que cedo me visitas,
saltitando esvoaçante,
a cantarolar
cantitos puros absolutos,
sílabas dum chão empedrado e turvo,
na antemanhã liberta das rosas;
vou para filmar, e idealizo uns planos picados
para acompanhar-te a divagação magnífica,
enquanto me deixas
por erva húmida,
antes dum sol desconhecido.

maria eduarda disse...

Vai para o corpo do blogue. Obrigada Angelo.