Páginas

quinta-feira, dezembro 31, 2009

Intenções

In The Morning
Gina Signore

O dia acordou-me,
ainda cedo,
sem brigas, sem rancores.
Segredou-me as palavras
Esperança,
Sorriso,
Partilha,
Amor,
Amizade,
e pediu-me
que as misturasse,
e nessa amálgama
cada palavra conheceria
a sua própria intenção.
Antes de partir,
à procura do Sol,
exigiu-me
perseverança,
humildade e alegria.
Já sozinha
compreendi
que o tempo
passa por mim,
tão depressa,
que o amanhã não existe,
enquanto não sugar
o agora, o momento, o hoje.
É tarde sempre,
para ficar à espera
de algo que não aconteceu.
Assim, o tempo passa,
e a vida vai com ele.

maria eduarda

9 comentários:

Anabela Magalhães disse...

Mas que beleza, Dudú!
Desejo-te um excelente ano de 2010, a ti e aos teus, e que tudo seja melhor ainda do que desejas.
Fica bem, Maria Eduarda.
Muuuuuuuahhhhhhhh
Votos de excelente ano extensivos às outras tratadoras cá da casa...
Beijinhos

maria eduarda disse...

Muuuuuuuuuuuahhhh também para ti!
Um 2010 fenomenal para ti e todos os teus.

blackhill disse...

Votos de um Própero Ano de 2010 com muitas conquistas para a nossa profissão

maria eduarda disse...

Obrigada Blackhill!

www.angeloochoa.net disse...

Permito-me terminar seu poeminha caríssima Eduarda com um «para sempre» a vida vai com o tempo «para sempre...» e o «sempre» é um lugar não de espera mas de certeza o mesmo é dizer de Esperança, a «louca» de Peguy!
Sou o 25º seguidor seu e se temos amigos em comum porque não encetar entre nós uma verdadeira amizade? Aceita? Bom ano, amiga -- o 25º seguidor seu, Angelo Ochoa

maria eduarda disse...

Aceito sim senhor!
Um excelente ano para si e família Angelo!

Vera Y. Silva disse...

Receita de ano novo

Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?)

Não precisa
fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumidas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

Carlos Drummod de Andrade

Andy disse...

LINDO! Adorei e senti-o verdadeiramente!
Um Bom Ano 2010!
Bjinhos

maria eduarda disse...

Vera, se me permites, este poema de Carlos Drummond de Andrade vai para o corpo do blogue. Obrigada