Páginas

quarta-feira, dezembro 02, 2009

O meu avesso


Num qualquer tecido,
vejo-lhe o avesso,
tão diferente do original!

Não há a glória
de descobrir o desenho,
vendo-o do avesso.

Assim, na descoberta
insiro-me no meu avesso,
semelhante ao original,
ou quase igual,
eu, tal e qual.

maria eduarda

4 comentários:

Anabela Magalhães disse...

Lindíssimas fotografias que ilustram um poema não menos belo!
Parabéns!

didium disse...

:) Merci!

Em@ disse...

Tudo muito bem :)) como a sua dona.
Afinal a frente e o verso fazem parte da mesma peça, certo?
Beijinho para tie...parabéns.
--'-@

didium disse...

Certo Em@!
Beijinho