Páginas

terça-feira, outubro 27, 2009

O meu Pai

Porque é assim que te vejo,
Dedicado, garboso, voluntarioso.
Porque ficas bem com a tua farda,
cheia de galardões merecidos.
Porque há horas, como as de hoje,
de ontem e amanhã também,
em que sei
que não te posso abraçar.
Porque sinto que o último abraço
soube-me a pouco.
Porque reconheço,
que ainda haveria muito diálogo,
que ficou por ser ouvido.
E agora,
estou só, no meu monólogo.

Gosto de te ver assim vestido!

maria eduarda

2 comentários:

Anabela Magalhães disse...

É assim mesmo, Dudú, a gente deixa sempre muito por dizer... :(

didium disse...

Tanta coisa Anabela...