Páginas

terça-feira, outubro 27, 2009

As coisas mais importantes não estão à venda

Pergunta: «Ser filho de um poeta foi determinante para o seu exercício da escrita?»

Mia Couto: «Acho que sim. Mas o meu pai não é apenas um poeta no sentido em que escreve poesia, é um poeta no sentido total, vive em poesia. Lembro-me que, nos momentos mais complicados da Guerra Colonial, passámos por esse período de uma forma totalmente distante, porque para ele o mais importante era irmos ver pelicanos ao final da tarde ou procurar pedrinhas para coleccionarmos. Ele ensinou-nos a procurar pequenas razões para sermos felizes, mesmo no meio dos destroços e é essa a educação que tento transmitir aos meus filhos. Toda a minha família tem a percepção de que as coisas mais importantes não estão à venda.»


Em entrevista a " Dica da semana"

7 comentários:

didium disse...

É uma bela mensagem que hoje me trazes, nos trazes. A felicidade está nas pequenas coisas, que assim, se tornam grandiosas.
Bjo

dinamene disse...

Fantástico, sem dúvida. Há pequenos pormenores que dão cor à vida, coisas simples que tornam a Vida grandiosa… Poesia pura.

No Pátio da casa dos meus avós havia um pinheiro grande que ficará sempre na minha memória de infância, de dias felizes nas féria de Verão…
Às vezes a minha avó atirava uma pinha pela janela, sem sabermos, e era uma euforia a partilha dos pinhões entre a miudagem toda! Mais tarde cortaram o pinheiro porque, diziam alguns, sujava muito :(

Agora reparei que alguém plantou um pequenino, no mesmo sítio ;)


Ainda hoje me delicio com a magia de comer pinhões partidos à pedrada!

Em@ disse...

Mia um dos meus autores preferidos.
Desejar um 'Bom dia' tornou-se tão banal, mas pode fazer toda a diferença na vida de muita gente.Lá está uma pequena coisa que...

didium disse...

É verdade Em@, até um sorriso, faz toda a diferença, ou um comentário, como acabaste de fazer!
Beijinhos

Em@ disse...

Eu já vim aqui muitas vezes....ler.
O não comentar não queria dizer que não tinha apreciado. Ficava só a digerir a visita.:)
Mas digo-te, agora, que gosto. Bastante.
Jinho

didium disse...

Obrigada Em@!

solange disse...

Um pequeno pormenor:
O excerto foi tirado de uma folha rasgada de um jornal (desses grátis que oferecem nas estações) e foi-me entregue, pela minha mãe, há dias.
Disse ela "Tenho ali uma coisa para ti, vais gostar." E veio, sorridente, com a entrevista na mão. Um pequeno gesto, que me aqueceu lg o coração.