Páginas

segunda-feira, abril 12, 2010

Em busca


fotografia de maria eduarda

Persigo a paz,
constantemente.
Às vezes, insinuante,
ela
espreita-me e foge.
Na solidão,
exijo-a por companhia.
Quando me distraio,
na indecisão,
ela,
criança rebelde,
não me obedece,
e parte comigo
na lágrima
da ilusão.

maria eduarda

8 comentários:

Anabela Magalhães disse...

Uma beleza, Dudú!
E tu como estás, Miga?
Já a 100%?

didium disse...

Anabela,
Já a 100% Miga.
Beijocas

Em@ disse...

;)
beijinho de chicoronha

Bravo disse...

Desde sempre que o poeta procura essa paz interior.
Mas ela está-lhe vedada.

Beijos

didium disse...

Há que insistir, Bravo.

didium disse...

Bom, eu também não sou poeta.

solange disse...

És poeta, sim!!!

«POETA» de Júlio Roberto

"Conheço muitos poetas
Que julgam que a poesia são versos
E basta andar a rimar
A pôr e a tirar linhas na escrita
Riscar palavras e pôr outras para emendar

Mas o poeta não é isso,
Não é poetar,
Nem fazer versos,
nem cantar loas ao luar

poeta é SER,
é sentir, mesmo sem linhas e sem palavras,
a Vida dentro de nós a fervilhar

É ter dor e alegria,
Deixar o coração falar,
Experimentar tudo e experimentar nada...

É até saber escutar..."

Júlio Roberto


Querida amiga, como podes ver, ÉS poeta, sim!!!

didium disse...

Sol;
Beijos <3