Páginas

sábado, abril 03, 2010

Coisas que se pensam quando qualquer outra coisa seria menos inútil

Exercício da Velhice


Dói-nos a cabeça mais um olho e dentro dele, o que são os pensamentos enclausurados que se arrastam sem que se casem com a vida, nalguma coincidência.
Temos veias salientes nas costas das mãos e já as não conseguimos tirar do seu relevo, ao elevarmos os braços para as nuvens, que bem podiam embelezar o tecto enegrecido pelas horas a fio, do colar do tempo à pele.
Custa-nos, o não poder no último momento de sol, empurrar o nada mais para lá como se fosse um objecto afável.
Continua a doer-nos a cabeça onde guardamos tudo.
Já nela são tantas coisas, que as não achamos pela ordem em que as vivemos mas antes vão-nos espreitando, como um vizinho curioso que se mudou há pouco para a casa da frente.

À beira dos nossos amores tememos pela hora seguinte, e levantamo-nos de madrugada para os ouvir respirar, tal como se vai ouvir o mar para se não morrer.

7 comentários:

Bea disse...

http://beatrizmadureira.blogspot.com/2010/04/pascoa.html
Boas amêndoas!
bjs

didium disse...

Que lindo Gabi!

Em@ disse...

O que eu gostei, Gabi! e como me identifiquei...

solange disse...

Uau!!! Saudades dos escritos da Gabi! Como escreves, o que escreves, o que sentes!
Tantas vivências, com o diz a minha mãe. Que bom! É bom podermos continuar a usufruir dos poucos q a vida nos vai dando, n interessa a ordem, mas o apreciar o momento. Temos d é n temer, mas agradecer.
Beijocas.

dinamene disse...

Lindo;)

G. Ludovice disse...

obgda a todas..
Solange, mm q agradecendo, é tremendo ser-se engolido pelo q poderá ser o delete total, pq ainda q haja mais alguma coisa, o desconhecimento disso impõe-se como um rochedo q a uma velocidade inimaginável nos esmagará num primeiro momento ou talvez haja alguma sinfonia q nos anestesie..
bj

didium disse...

E nesse "talvez" vamos vivendo, e detantas vezes pensar que vale a pena, acabamos por aceitar essa certeza, mesmo nos minutos em que nos interrogamos se valerá a pena...