Páginas

terça-feira, março 30, 2010

Desconversar

fotografias de maria eduarda

Nunca gostei de conversas de circunstância, e com o passar dos anos, menos paciência tenho para nelas participar.

De facto, é preciso que se origine a circunstância, para colocar lá dentro, as frases sobre o tempo, a falta dele ... que nem sequer chegam a ser conversas. Dizeres soltos, em contexto de nada querer dizer.

Assim sendo, basta a saudação do bom dia, boa tarde ou boa noite, e a circunstância ausenta-se, assim como o diálogo. Prefiro então o monólogo, o conversar com os meus botões, mesmo que não os tenha. E sozinha, reflicto, avalio-me, o que me traz vantagens - não é preciso forçar uma situação e ouvir banalidades.

maria eduarda

7 comentários:

Em@ disse...

'tou contigo, amiga.ao tempo que já perdi essa pachorra.bichinhos-do-mato é o que somos.
escuta: não deixaste um comentário no post "planeta"?moderei-o enão o encontro. agora não consigo moderar os comentários.tenho o blog enguiçado :S
beijinho de chicoronha

didium disse...

Em@,

Deixei um comentário nesse post.Vê se desenguiças o blog ;D
Beijinhos de chicoronha.

solange disse...

Gosto do que escreves/pensas, concordo contigo absolutamente!!!
Bisous! <3

solange disse...

Estou a reler «Jesusalém», a saborear cada palavra, com mais tempo, e encanto-me com o " Mwanito, o afinador de silêncios".

didium disse...

É um romance fora de série, mesmo.
Bisous <3

Anabela Magalhães disse...

Estás coberta de razão, Dudú!
Beijocas

didium disse...

Não há tempo a perder com banalidades, com tanta coisa interessante para fazer e dizer. Beijinhos Anabela.