Páginas

sábado, julho 10, 2010

(Re)começar

No desassossego
buscamos a sombra,
e libertos da luz,
entramos em nós,
em análise,
em confronto,
em meditação...

Já tranquilos,
levantamos o véu,
e partimos
de alma lavada,
desafiando o Sol.

maria eduarda

7 comentários:

Anabela Magalhães disse...

Uma beleza de poesia esperançada!
Beijinhos com saudades...

didium disse...

Anabela,
É o que não poderá faltar nunca, a esperança.
Beijinhos também com saudades.

Sofia disse...

Olá, linda. É tão difícil levantar esse véu, por vezes, mas acho que faz parte da natureza humana nunca deixar de ter esperanças. Começar e recomeçar nunca é fácil, mas há que saber dar o primeiro passo. A partir daí a estrada é sempre nossa. Olha, linda, vou pedir-te um favor. Não consigo colocar imagens nos meus textos. Podes colocar-me tu umas imagens que aches bonitas e adequadas? As que tu quiseres. Bjs grandes.

Em@ disse...

O mais difícil já foi feito: iniciar o gesto do 1º passo.lentamente tudo começa a trabalhar como se fosse accionada a memória genética que nos levou a (sobre)viver até hoje.
muitos (re)começos contabilizamos nós na conta-corrente da nossa vida.
sempre foi assim e sempre será.que nunca nos faltem as forças para o 1º gesto.
beijinho de chicoronha.
gosto-te bué!

didium disse...

Oh Emita!
Tammbém te gosto bué, chicoronha!

didium disse...

Sofia,
Vou esperar, e quando estivermos juntas, colocas as imagens comigo.Quero que sejas tu a escolher.
Bjs

dinamene disse...

Já tinha comentado este poema, mas ficou publicado.... (Não me lembro porquê!)

Adoro, é lindo.

Bjos