Páginas

sexta-feira, maio 14, 2010

Ler

Ler, consola-me na minha reforma; alivia-me o peso de uma ociosidade sufocante e pode sempre livrar-me de companhias que me enfastiam. Acalma as punhaladas da dor quando esta não é lancinante e extrema. Para me distrair de pensamentos sombrios basta-me recorrer aos meus livros.
Montaigne

6 comentários:

Em@ disse...

Desde muito miúda que o melhor e maior presente que me podiam dar era um livro. e espero ter sempre olhos e entendimento para usufruir deles.
jinho no <3

didium disse...

Em@,

Também me acontecia o mesmo, desde muito miúda.
Beijinho

solange disse...

Pois, pena é a reforma ainda n ter chegado.
Concordo plenamente!!! Em tdos os momentos, um livro é muito bom.
Bjos

G. Ludovice disse...

Vivi cercada de livros desde pequena, pq o meu pai os amava e amou sempre.. chegava a comprar livros e trazê-los às escondidas p casa, debaixo do casaco, pq cada vez tinha menos arrumação na sua biblioteca e a mãe achava talvez q era demais aquela paixão.. dizia mts vezes q nunca ia conseguir lê-los todos, chegou a ter cerca de onze mil volumes, que trouxe em caixotes de madeira quando contrariado se veio embora de Angola. Os livros e o piano, morreria sem eles..

Em@ disse...

Gaby,
lamento imenso isso do teu pai...
também eu vivi, rodeada de livros, com 14 nos já tinha a minha biblioteca com 400 livros - trouxe alguns comigo.
Hoje em dia já não sei quantos tenho... há muito que não os conto.
beijo no <3

didium disse...

Memórias que nos engrandecem!
Beijinhos a todas.