Páginas

quarta-feira, novembro 25, 2009

Sem chão

http://olhares.aeiou.pt/


Mantenho-me
no meu equilíbrio,
em suspensão.
É inevitável
que me agarres,
me abraces,
e me coloques no chão.
Assim me mantenhas,
neste alinhar,
preso à tua mão,
que me ajudará
a seguir uma direcção.

maria eduarda

6 comentários:

Em@ disse...

Assim desejo. :)
Beijo Dudú.

didium disse...

Beijo Em@.

Anabela Magalhães disse...

Eu também assim desejo, Dudú!
E este poema é simplesmente muito belo!
beijinhos

Raul Martins disse...

E precisamos de amigos que nos ajudem a manter o equilíbrio e com a sua mão nos orientem e ajudem a encontrar o norte e a seguir no umo certo.
.
Um belo poema a partir do qual podemos explorar a amizade; o amor de casal, o amor de pais e filhos...
.
Foi o que senti ao ler o teu poema.
.
Gostei...

Raul Martins disse...

No rumo certo... claro!

didium disse...

Obrigada Raul!