Páginas

domingo, agosto 15, 2010

Aguardo

É no ombro
onde sossegam
desabafos incontidos,
feridas abertas,
cicatrizes visíveis.
Acolho-os
no meu baú,
e ouço,
estendo a voz,
dou-te a calma,
aguardo-te serena,
quero-te feliz.
Marcas, mágoas, angústias,
posso suportá-las contigo,
para te dar espaço,
para te oferecer luz,
para que tu sejas
simplesmente TU!
Agarra a luz,
festeja comigo,
quando puderes,
eu espero!

maria eduarda

8 comentários:

Andy disse...

saber ouvir, acalmar, mostrar serenidade, esperar e aceitar o outro, maravilhosas provas de amor.

lindo o poema!

didium disse...

Bjs Andy.

solange disse...

Lindíssimo!!!
Estás a ver, a veia poética continua em ti. Que bons conselhos
"Agarra a luz,
festeja comigo,
quando puderes,
eu espero!"

Anabela Magalhães disse...

Muito belo de facto, Dudú!
Destaco também o destaque da Solange... uma preciosidade!
Beijinhos!

didium disse...

Beijinhos para a Sol e Anabela!

Andy disse...

Para a equipa do "Ler é viver", ofereço um simples Prémio, merecem-no, está no canto da Lua!
beijinho!

Em@ disse...

Dudú:
lindo. gostei muito. mas não esperes demasiado! cutuca com força para chamar a atenção!
o tempo foge e nós temos que viver o melhor possível!
gosto-te bué

beijinho de chicoronha

didium disse...

Em@,
Tens razão. Mas eu chamo, eu falo...
sei que o amanhã é sempre uma incerteza!
Beijinho de chicoronha.