Páginas

quinta-feira, março 20, 2014

Sombra



A luz
escondeu-se
do meu horizonte
crepuscular.
Levo o laranja,
dobro-o
na bainha
dos meus lençóis,
da cor da paz.

maria eduarda

6 comentários:

ACASO (ૐ) disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ACASO (ૐ) disse...

Se levas o laranja e o dobras,
envolto em manto de ternura,
jamais te contentem as sobras,
esquece antes a amargura!

Na verdade, sei que és forte
que encontrarás a decisão.
Recupera o teu norte!

amo-te muito!


Teu irmão.

dinamene disse...

Querida amiga, gosto de te ler, sempre. Embora prefira a aurora do teu horizonte que o seu crepusculo, sei que não temos amanhecer sem entardecer e vice versa. Abraço

dinamene disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
solange disse...

Querida Didiu
Estás d volta e n dizias nada? Olha q bom! E sempre tão inspirada. Beijocas, adorei o teu poema, pequenino e lindo.

maria eduarda disse...

Beijinhos a todos vocês!