Páginas

domingo, julho 01, 2012

Dedilhar



E o som da guitarra
dedilhada, tangente,
abafa os meus passos
outrora devassos,
de ébrios cansaços,
revelados apenas
na corda errante
de uma guitarra
perdida no tempo.

maria eduarda

6 comentários:

Anabela Magalhães disse...

Muito bonito, Dudú!
Beijinhos e xi-coração com saudadinhas das nossas tertúlias boas... eheheh...

Andy disse...

gostei muito deste dedilhar de emoções...

beijinhos!

dinamene disse...

gostei muito . obrigada p partilha de emoções.

didium disse...

Anabela,
Também tenho saudades.
Bjo

didium disse...

Andy e Dinamene,
Um abraço apertadinho!

solange disse...

Q liiiiindo!!! E eu, c outras prioridades, a "perder" este poema tão ternurento. Parece q oiço o som da guitarra! Continua e bem, c inspiração e muita Luz, no teu blog.
Bisoussssssssss <3.