Páginas

sexta-feira, julho 01, 2011

Ao meu irmão mais velho


Partiste cedo.
Levaste um bilhete
de ida, sem volta.
Seres chorosos
à tua volta,
olham o rosto
tão familiar,
que é o teu!

Partiste,
deixaste caminhos,
por onde
não mais andarás.
Teus filhos
caminharão,
seguindo os trilhos
que lhes indicaste.
Partiste irmão,
e nas contas dos cinco,
estás ausente!

maria eduarda

8 comentários:

Anabela Magalhães disse...

Lamento muito minha querida Dudú...
Beijinhos e xi-coração especialmente apertadinho... :(

Isabel Preto disse...

Coragem, para enfrentar esta despedida tão dolorosa.
Beijinhos.

Em@ disse...

Minha querida Chicoronha.
_____________________________deixo-te o meu ombro, o meu beijo, o meu abraço.Gosto-te....e o resto ultrapassa-me.
(bonito o teu poema, pena teres tido a necessidade de o escrever opor este motivo <3)

Andy disse...

os meus sinceros sentimentos.

muito belo!
Beijinho e coragem

dinamene disse...

Querida,

Não sabia de tão triste ausência...

Abraço quentinho.

Armando Soares disse...

Na hora de pôr a mesa, éramos cinco:
o meu pai, a minha mãe, as minhas irmãs
e eu. depois, a minha irmã mais velha
casou-se. depois, a minha irmã mais nova
casou-se. depois, o meu pai morreu. hoje,
na hora de pôr a mesa, somos cinco,
menos a minha irmã mais velha que está
na casa dela, menos a minha irmã mais
nova que está na casa dela, menos o meu
pai, menos a minha mãe viúva. cada um
deles é um lugar vazio nesta mesa onde
como sozinho. mas irão estar sempre aqui.
na hora de pôr a mesa, seremos sempre cinco.
enquanto um de nós estiver vivo, seremos
sempre cinco.

JOSÉ LUIS PEIXOTO

Armando Soares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
didium disse...

Meu irmão,

Bem a propósito lembraste-te de José Luís Peixoto, que eu gosto tanto de ler...
Um abração para ti!