Páginas

sábado, novembro 13, 2010

livros...

No outro dia, comprei (mais) uma Alice no País das Maravilhas. Quando pedi para embrulhar o livro para oferta, a livreira perguntou: é para adulto ou para criança? Devolvi a pergunta com outra: quantos livros permitem esta dúvida, além da Alice? Não imagino alguém perguntar se Os Maias ou o Sexus são um presente para adulto ou para criança. Nem a questionar se O Pêndulo de Foucault ou as Memórias de Adriano deverão ser embrulhados com um papel repleto de ursos, balões ou rebuçados. Ou a colocar a hipótese de A República, O Estrangeiro, A Faca não corta o fogo, A nossa necessidade de consolo é impossível de satisfazer ou o Tractatus Logico-Philosophicus serem oferecidos a uma criança. Apesar desta Alice ser para um adulto, apeteceu-me responder que era para uma criança, como se o leitor tivesse as duas idades. E fosse crescendo ou diminuindo, conforme o lado do cogumelo trincado.

Maria João Freitas

4 comentários:

R. disse...

Lembrou-me outros títulos a que poderia aplicar-se a mesma pergunta: 'O Princepezinho', 'O gato que ensinou a gaivota a voar' ou 'O gato Malhado e a Andorinha Sinhá'.

Lelé Batita disse...

Parabéns atrasados, com um beijinho.

didium disse...

Obrigada Lelé.

didium disse...

Obrigada Lelé.